sábado, 2 de agosto de 2014

Return?

Todas as mensagens pareciam afastar-se  de uma forma concreta
Apenas para se evitarem em melodiosas flautas erectas
Flutuando jazz entre as formas sensuais do álcool que rebentam
Nestas ondas de seis da manhã, nestas ondas que ainda aguentam
Sonos de noites mortas, sonos de noites negras fora de beat, fora de vanguarda
Fora de sentido para olhos de consciência que se recusam a reflectir
Cães de guarda que me mordem nesta noite de trovas antigas
Noites inimigas do não poder triunfar sobre uma bandeira
Ser constantemente anti-patriota sem hipótese de vencer
Sem hipótese de crescer, desistindo para ser criança

Sem comentários:

Enviar um comentário