quarta-feira, 18 de junho de 2014

Medicação

Quão diferente é o ficar ou o partir
Quão diferente é o futuro deste presente
Que se escreve nas mesmas linhas tortas de um caderno de recordações
Preto, coberto de pó
Quão diferente é a dor do prazer, ambas sensações do mesmo corpo
Quão diferente é o amor da solidão
Se todas as respostas conduzem a perguntas de novo
E nem sequer podemos hibernar
Alimentamo-nos, respiramos, vivemos, procriamos
Vivendo sempre o mesmo cíclo
Comprimidos que adiam a morte
Remédios que nos corrigem a sorte
Da enfermidade que é viver

Sem comentários:

Enviar um comentário