terça-feira, 17 de junho de 2014

Vivemos serenos no absentismo
Iludidos na indignação da indiferença
Escolhemos a escolha aleatória da sentença
Escolhemos ser inúteis
E viver a verde esperança

Fada verde do absinto que voa
Fada que se vê e até por momentos se sente
Vem até nós
Falsa ilusão de liberdade
Falsa sensação de mudança
Esconde esse lado da tua voz
Foge com o vento na noite
Felizes na ignorância seremos
Apenas nos serve a verdade que todos morreremos

Sem comentários:

Enviar um comentário