segunda-feira, 16 de junho de 2014

Rebentam agora os ventos fortes que se escondem do sol
Procurando a noite
Procurando a sombra no que sobra
Rebentam em brisas calmas de confusão
Para que também possa haver inverno
Na mais quente noite de verão

Sem comentários:

Enviar um comentário