sábado, 9 de janeiro de 2016

Muralhas

É fácil sentir a revolta 
E dizer a todo o mundo o que se passa
Ter asas de comando marcadas no braço
E um pelotão disposto a seguir-nos
Mas viver com a manifestação interna
Decidir aceitar
Que talvez seja eterna
E impossível de controlar
É uma tarefa demoníaca
Que bem quero exorcizar
Mas não tenho muralhas
Nem sou Aquiles 
Nem isto é uma ilíada
Nem é algo que se possa perder ou ganhar

Sem comentários:

Enviar um comentário