sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

O caminho para o lugar das sombras

Entro sozinho nas pedras esmagadas pelo peso do meu carro
Para sentir o peso das minhas acções
Vou caminhando entre todas
Sentindo a sua escuridão
Pedras negras soltas do asfalto
Carregadas de fumo das horas de sol
E do vazio da estrada à noite
Pedras negras da alma em erosão
Perdidas no mar da chuva
Arrastadas pelas ondas e a desaguar
Na mais suja valeta

Onde nem as sombras conseguem entrar

Sem comentários:

Enviar um comentário