domingo, 21 de setembro de 2014

New song

Todas as palavras correm como música e anjos descem para as pegar
Loucos pela sua dose prostituem-se vendendo o corpo e as penas
Para casacos de generais enganadores que escutam jazz na sua intelectualidade
Mas na solidão apenas gostam de ouvir pop, pop-pimba, pop-só, pop-(difícil de admitir por vergonha social)
Tudo se dispersa, e as letras oferecem as suas linhas a compradores de verdades
Para as poderem revender com a sua medida e duplicidade de quem ouve e quem transmite
Verdade dada mentira tomada verdade tornada mentira
Compassos decadentes da actualidade crítica
Nova sonoridade criativa chamada política

Sem comentários:

Enviar um comentário