segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Não penso mas ainda assim existo

Vive-se oprimido a ligações não escolhidas
Ligado à família, ao deus que nos ensinaram que existia
Às pessoas conhecidas
Que não são amigos
Gostava de acreditar que as minhas escolhas não são predisposições
Escolhas inatas pacatas compactuadas
Por aquilo que até hoje acreditava ser razão

Sem comentários:

Enviar um comentário